Você sabe quais são os principais hormônios femininos? Descubra agora!

Diferentemente do organismo masculino, o feminino passa por vários ciclos hormonais ao longo da vida. Todos os meses, são os hormônios que regem os sintomas da TPM e, mais tarde, os do climatério. Do mesmo modo, também impactam diretamente no metabolismo e no bem-estar.

Eles atuam de várias maneiras no organismo, influenciando desde mudanças corporais até as emoções. Alguns fatores que podem alterar a quantidade dos principais hormônios femininos são o estado de saúde, o ciclo menstrual, a hora do dia, gravidez, fatores emocionais e determinados medicamentos.

Se você deseja saber quais são os hormônios femininos e a função de cada um, não perca o nosso post. Boa leitura!

Progesterona

Esse hormônio é produzido pelos ovários e regula o ciclo menstrual, preparando o útero para receber o óvulo fertilizado e impedir que ele seja expelido pelo corpo. Seus níveis aumentam logo após a ovulação. Caso ocorra uma gravidez, eles se mantêm altos para permitir o desenvolvimento das paredes do útero.

Portanto, esse hormônio é fundamental para o processo da gestação. Por outro lado, se não houver um óvulo fertilizado, os ovários deixam de produzir progesterona, o que leva à descamação do revestimento uterino, causando, então, a menstruação.

Estrogênio

Também chamado de estrógeno, é um hormônio sexual produzido pelos ovários e liberado no ciclo menstrual. Durante a puberdade, ele determina as características femininas, como tamanho dos seios, maturação do aparelho reprodutor e distribuição de gordura no quadril, nas nádegas e nas coxas.

Também controla a ovulação e prepara o útero para a reprodução. Na menopausa, os ovários param de produzir estrogênio. Por esse motivo, às vezes é necessário fazer reposição hormonal com acompanhamento médico.

Ocitocina

Conhecida como “hormônio do amor”, a ocitocina é produzida pelo cérebro e melhora o humor e a interação social, diminui a ansiedade e a depressão, além de aumentar a ligação entre parceiros e o prazer nas relações sexuais. Também tem papel essencial durante o parto e a fase de amamentação.

Se os níveis de ocitocina estiverem baixos, é possível fazer a reposição por meio de cápsulas, líquido ou spray. Vale lembrar que isso deve ser feito sob orientação médica.

HCG

O HCG (sigla para Gonadotrofina Coriônica Humana) é um hormônio produzido pelas células que formam a placenta durante a gestação. Enquanto a mulher está grávida, a produção de HCG aumenta para manter os níveis de progesterona no organismo e auxiliar no alinhamento e desenvolvimento do útero. Por isso, é feito um exame para analisar a quantidade de HCG no sangue e, assim, detectar uma gravidez.

Testosterona

A testosterona está ligada ao organismo masculino, no entanto, as mulheres também apresentam esse hormônio em taxas mais baixas. Sua função é melhorar a disposição, a energia, a libido e o desenvolvimento dos ossos e músculos.

Quando há falta de testosterona no corpo da mulher, ocorre um grande cansaço, desânimo, depressão e baixa libido. Por sua vez, quando os níveis estão adequados, a memória, a saúde do coração e o ganho de massa muscular nas atividades físicas são favorecidos. Ou seja, o maior problema da testosterona para a mulher não é seu excesso, mas sua falta.

Melatonina

A melatonina é um hormônio produzido pela glândula pineal, que está localizada no cérebro. Uma ação muito importante da substância está relacionada ao sono, já que ela é produzida conforme o dia escurece, para que o corpo entenda que está chegando a hora de dormir.

O pico acontece durante o sono e o nível diminui no início da manhã, sinalizando que é o momento de acordar. O hormônio também é um potente antioxidante e, comparado com outras substâncias como a vitamina C, é mais eficaz na prevenção dos danos celulares provocados pelos radicais livres.

Hormônio folículo-estimulante

O hormônio folículo-estimulante (FSH) estimula a secreção de estrogênio, que é responsável por desenvolver na superfície do ovário um folículo que apresenta o óvulo. É essa substância que regula a reprodução, a puberdade, o desenvolvimento e o crescimento.

Sua produção é estimulada por outro hormônio, o luteinizante. Ele é produzido pela hipófise e realiza a liberação do óvulo durante o ciclo menstrual.

Estradiol

O estradiol é um hormônio produzido nas células granulosas do tecido ovariano por ação de outra substância produzida na hipófise, o FSH. Sua principal função é causar o espessamento da cavidade do útero, ou seja, a formação do endométrio que prepara o órgão para receber um óvulo fecundado.

Quando não há a fecundação, essa camada é eliminada, dando origem à menstruação. Além dessa função, o estradiol também apresenta uma ação anabolizante no corpo da mulher.

Esse efeito é responsável pela reposição e restauração de estruturas importantes como colágeno, pele e massa muscular. Assim, a deficiência do hormônio pode ter um impacto relevante na vida feminina.

LH

O hormônio luteinizante é muito influente no período fértil, estimulando o amadurecimento dos folículos. Ele é produzido na hipófise e se encontra em concentrações maiores durante a fase ovulatória. Entretanto, está presente em toda a vida da mulher, tendo diferentes concentrações de acordo com a fase do ciclo menstrual.

Além de ter um papel muito importante na verificação da capacidade reprodutiva das mulheres, a quantidade de LH no sangue ajuda no diagnóstico de tumores na hipófise e alteração nos ovários, como a presença de cistos.

Cortisol

O cortisol é um hormônio produzido pelas glândulas suprarrenais, que estão logo acima dos rins. Suas principais funções incluem o controle do estresse e a redução das inflamações, além de manter o nível de açúcar no sangue constante e contribuir para o funcionamento do sistema imunológico.

Além disso, a substância recruta energia durante situações estressantes, adaptando o corpo humano ao estresse e permitindo que ele responda de maneira bem-sucedida a qualquer situação que cause ameaça.

T3 e T4

O T3 e o T4 são hormônios produzidos pela glândula tireoide. Eles são importantes em praticamente todos os órgãos, pois são fundamentais para o sistema nervoso central e ajudam na manutenção da temperatura e do funcionamento do intestino.

Gostou deste post e quer complementar a sua leitura? Então, entenda mais sobre a endorfina e a serotonina, os hormônios da felicidade!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.